Filme Invictus Resumo e Crítica

Filme Invictus Resumo e Crítica 4.33/5 (86.67%) 9 votos

Clint Eastwood assina com maestria a direção do filme “Invictus” sobre Nelson Mandela, e não poderia ser outro ator alem de  Morgan Freeman para encanar o símbolo da resistência contra a segregação racial (Apartheid) e unificação da Africa do Sul.

Foi o próprio Nelson Mandela que sugeriu o nome de Morgan Freeman para interpretá-lo no cinema.

Crítica do Filme Invictus

O Octogenário Clint Eastwood trouxe para Hollywood uma novo olhar de fazer cinema, após os sucessos de “Sobre Meninos e Lobos – 2003” e “Menina de Ouro – 2004”, Clint Eastwood repete a parceria com Morgan Freeman em mais um filme intenso e emocionante, que vem tornando-se marca registrada do diretor.

O roteiro do filme “Invictus” é baseado no  livro “Playing the Enemy”, de John Carlin, que focaliza um momento particular na conciliação da África do Sul pós-apartheid: a realização da Copa Mundial de Rúgbi, que o país venceu, contra todos os prognósticos. A vitória serviu como elemento de união nacional.

invictus filme Filme Invictus Resumo e Crítica

A autobiografia “Longo Caminho para a Liberdade” lançada na década de 1990 pelo próprio Nelson Mandela, foi preterida por Clint Eastwood, pois acreditou que adapatar o livro em um filme de duas horas não atingiria a profundidade da história de Nelson Mandela.

Alem de Morgan Freeman , o filme “Invicuts” conta também com Matt Damon e  Tony Kgoroge no elenco principal.

Resumo do filme “Invicuts”

invictus morgan freeman1 Filme Invictus Resumo e Crítica Em fevereiro de 1990, Mandela (Freeman) acabara de sair da prisão, depois de 27 anos. Quatro anos depois, foi eleito o primeiro presidente negro da história de um país onde, por décadas, a maioria negra não tinha quaisquer direitos políticos, sociais e econômicos. Por conta disso, há uma enorme tensão na África do Sul. Do lado dos negros, devido à ânsia de ocupar seu espaço e, em alguns setores, de buscar vingança. Do lado dos brancos, ainda a elite econômica e cultural da nação, medo e desconfiança, quando não alguma tentativa de boicote ao novo governo.

Mostrando sabedoria política exemplar, Mandela sabe que terá de satisfazer aos dois lados e conquistá-los. Uma oportunidade se apresenta com a Copa Mundial de Rúgbi. Esporte branco por excelência, o rúgbi é desprezado pela maioria negra, que torce ostensivamente por todo e qualquer adversário do time nacional nas competições. Para piorar, a seleção nacional também não apresenta um desempenho dos melhores.

O presidente Mandela enxerga aí uma chance única. Assim, abre uma vaga na sua apertadíssima agenda para receber o capitão do time de rúgbi, François Pienaar (Matt Damon, de “O Desinformante”), o primeiro que ele ganha para a grande causa de vencer a Copa Mundial – uma tarefa que, neste momento, parece simplesmente impossível.

A atitude do presidente confunde não só Pienaar, prestigiado membro da elite branca, como seus próprios colaboradores negros. Nenhum dos lados entende o alcance deste esforço. Alguns consideram simplesmente ridículos que o presidente se ocupe de um assunto esportivo num momento em que o país se debate com um dramático déficit de investimentos, além da precariedade da infraestrutura, dos transportes, da saúde e da educação.

Ficha técnica

  • Lançamento no Brasil: 29 de janeiro de 2010
  • Direção: Clint Eastwood
  • Gênero: Drama
  • Elenco: Morgan Freeman, Matt Damon, Tony Kgoroge
Comentarios
  1. Posted by Reginaldo
  2. Posted by patricio
  3. Posted by Maria
  4. Posted by davi
  5. Posted by tati
  6. Posted by rafaela fagundes alvess
  7. Posted by Maria Luiza
  8. Posted by Junior Souza
  9. Posted by welington
  10. Posted by Lorena
  11. Posted by Gabriele
  12. Posted by Anna Beth
  13. Posted by Camilla Watanabe
  14. Posted by Riviane

Seu Comentário